csctv
banner vidracaria ametista1

Projeto inédito no País vai contratar energia de pequenos geradores

Edital foi autorizado pela Aneel atendendo solicitação da Copel para implantar projeto-piloto de cinco anos

Por Clecio Silva em 18/11/2020 às 16:52:35
Foto: Geraldo Bubniak

Foto: Geraldo Bubniak

A Copel lan√ßou nesta quarta-feira (18), na sede da cooperativa C.Vale, em Palotina, no Oeste do Paran√°, uma chamada p√ļblica para a contrata√ß√£o de energia proveniente de autogreradores. O edital, inédito no Brasil, foi autorizado pela Ag√™ncia Nacional de Energia Elétrica (Aneel) mediante solicita√ß√£o feita pela Copel para implantar esse projeto-piloto de cinco anos. A previs√£o é contratar até 50 MW (megawatt) médios de energia nessa modalidade, equivalente a 438 mil MWh/ano ou 1,9% de sua carga anual.

O objetivo da chamada é atrair produtores independentes de pequeno e médio porte, incluindo minigeradores, aproveitando ainda mais o potencial energético do Estado, com capacidade para operar de maneira conectada. Para vender à Copel, os autogeradores ter√£o de constituir uma microrrede - um sistema elétrico independente, que funciona como uma "ilha de energia", integrando gera√ß√£o, armazenamento e consumo à rede de distribui√ß√£o.

"A Copel abre a oportunidade para pequenas centrais hidrelétricas, produtores de energia a partir de cavaco de madeira, cana de a√ß√ļcar, ou biog√°s com os dejetos de su√≠nos. É mais uma fonte de renda e de oportunidade para os nossos produtores", disse o governador Carlos Massa Ratinho Junior. "A ideia é fortalecer o campo, a produ√ß√£o de alimentos, colaborando ainda mais com as cooperativas. Com essa chamada e aplica√ß√£o de recursos em energia, estamos promovendo uma transforma√ß√£o nessas propriedades, possibilitando seguran√ßa para os novos investimentos".

Os autogeradores que constituir√£o as microrredes poder√£o vender a energia gerada para a Copel e, com isso, abastecer um grupo de consumidores próximos. Eles também dever√£o estar inseridos em uma das 32 macrorregi√Ķes listadas no Estado. A companhia ficar√° respons√°vel pelo controle e seguran√ßa da opera√ß√£o. A chamada ficar√° aberta até o dia 16 de fevereiro.

"O Paran√° Trif√°sico d√° estabilidade para a energia. O Rede Elétrica Inteligente garante que, em eventual queda, a rede volte com rapidez, em um sistema totalmente interligado. E agora vamos integrar também as microrredes, estimulando o propriet√°rio a produzir energia para a sua comunidade. É uma vis√£o de longo prazo", disse o presidente da Copel, Daniel Pimentel Slaviero. "A Copel quer ter a melhor energia, com a rede mais segura e moderna do Pa√≠s".

CHAMADA - A chamada vai abranger "acessantes" que geram de 1 a 30 MW (potência capaz de atender 100 mil consumidores), sem restrição da fonte geradora, com custo máximo de venda de R$ 311/MWh.

Os proponentes ter√£o de dar garantias de sustento da sua microrrede e controle sobre a pot√™ncia por, pelo menos, cinco horas ininterruptas. Esse critério foi estabelecido com base no tempo médio de atendimento da Copel na troca de um poste, por exemplo.

A autoriza√ß√£o da Aneel para a chamada p√ļblica é denominada sandbox regulatório – espécie de ambiente de teste, conhecido como "caixa de prote√ß√£o" regulatória. Nessa regra a dura√ß√£o e as condi√ß√Ķes s√£o previamente delimitadas para que os agentes do setor possam pôr em pr√°tica as inova√ß√Ķes.

MELHORIAS РO programa piloto servirá para testar o modelo e auxiliará a Copel em casos de contingência. Diante de um eventual problema na linha, a companhia poderá isolar o sistema e manter boa parte dos consumidores do local abastecidos enquanto repara o ponto danificado.

Nesse caso, a inova√ß√£o ter√° reflexo direto na melhoria do indicador DEC (Dura√ß√£o Equivalente de Interrup√ß√£o por Unidade Consumidora), que diz respeito à quantidade de tempo que um cliente ou um grupo permanecem sem energia. Outra melhoria é a possibilidade de adiamento de investimentos de médio prazo.

"É um movimento mundial e inevit√°vel para melhoria da distribui√ß√£o. Queremos garantir que esses geradores tenham acesso à distribui√ß√£o e mantenham seus processos quando houver algum tipo de problema na rede. Essa é uma ferramenta decisiva para melhorar a qualidade no fornecimento de energia da Copel", afirmou J√ļlio Omori, superintendente de Smart Grid e Projetos Especiais da companhia.

"Essas microrredes criam pequenas ilhas constitu√≠das por o√°sis de conex√Ķes perfeitas. Na gera√ß√£o distribu√≠da s√£o dois mil pedidos por m√™s na Copel, em média. Queremos, agora, utilizar essa energia e esse potencial".

A maior parte da energia da Copel é adquirida em leil√Ķes, sistema invariavelmente mais barato, mas que, ao mesmo tempo, pode ter sido gerada no Norte e Nordeste, mais sujeita a intempéries no caminho. Esse programa piloto é uma maneira alternativa de composi√ß√£o do sistema elétrico estadual e que est√° ligado a outros projetos da companhia, como o Paran√° Trif√°sico e o Rede Elétrica Inteligente. É um passo fundamental rumo à era das redes hiperconectadas.

QUALIDADE DO SERVI√áO - Na pr√°tica, o programa ter√° repercuss√£o direta na qualidade do servi√ßo prestado pela Copel por causa da redu√ß√£o das perdas e otimiza√ß√£o do sistema (controle de tens√£o e perdas), sinergia com os outros projetos do bra√ßo de Distribui√ß√£o, integra√ß√£o com a central de controle e viabilidade de mais negócios de gera√ß√£o distribu√≠da porque o pre√ßo de venda ser√° competitivo. É um incentivo à inova√ß√£o e integra√ß√£o tecnológica.

"Uma rede normal tem produ√ß√£o, transmiss√£o para a subesta√ß√£o e distribui√ß√£o para o consumidor final. A novidade da microrrede é isolar uma regi√£o enquanto se corrige um eventual defeito. Continuaremos transmitindo energia mesmo com a queda na fonte principal e otimizaremos todo o sistema, que ser√° mais robusto e mais forte", afirmou Maximiliano Orfali, diretor-geral da Copel Distribui√ß√£o.

Segundo ele, essa chamada é uma forma de aprimorar a gera√ß√£o distribu√≠da porque o produtor n√£o aproveita todo o potencial energético do seu sistema ou vende em leil√Ķes com pre√ßo de baixa competitividade. "Agora vamos viabilizar uma nova rede, com garantias e melhorias na distribui√ß√£o da Copel e incentivo aos produtores locais de energia", complementou.

REGULA√á√ÉO – Esses novos agentes produtores s√£o sustentados pela Resolu√ß√£o Aneel 482/2012, marco regulatório da ag√™ncia para micro e minigeradores. A Copel teve papel fundamental na cria√ß√£o do protocolo ao fornecer subs√≠dios de contrata√ß√£o de energia de pequenas centrais geradoras de biog√°s proveniente de dejetos de animais, que podem compensar energia de outras contas.

Esse projeto-piloto que ser√° realizado pela Copel também pode dar embasamento para a cria√ß√£o de uma resolu√ß√£o espec√≠fica para o tema por parte da Aneel. Pela legisla√ß√£o atual, as distribuidoras podem adquirir até 10% de sua carga de empreendimentos de gera√ß√£o distribu√≠da, por meio de chamada p√ļblica.

P√öBLICO-ALVO – O p√ļblico-alvo do programa é formado por uma gama de produtores independentes de energia de baixa e média pot√™ncia e também centrais geradoras hidrelétricas (CGHs), pequenas centras hidrelétricas (PCHs) e centrais geradoras térmicas (CGTs), entre outras.

Os produtores dever√£o estar localizados em uma das 32 macrorregi√Ķes estabelecidas na chamada. Elas s√£o formadas por conjuntos elétricos estabelecidos pela Aneel, com uma ou mais cidades. Segundo a Copel, o projeto atinge cerca de 100 munic√≠pios.

As macrorregi√Ķes s√£o Almirante Tamandaré, Alto Paran√°, Arapoti, Barboza Ferraz, Campo do Assobio, Canteiro Segredo, Cascavel, Castro, Clevel√Ęndia, Colombo, Distrito Industrial de Tel√™maco Borba, Figueira, Governador Parigot de Souza, Guaraituba, Igapó, Jaguaria√≠va, Lapa, Marialva, Morretes, Passo do Igua√ßu, Piraquara, Pitanga, Ponta Grossa Norte, Ponta Grossa Sul, Pontal do Sul, Quatro Barras, Rio Branco do Sul, Sabar√°, Salto do Meio, Tafisa, Tunas e Uni√£o da Vitória.

O Paran√° é fértil na produ√ß√£o de energia por causa do potencial de suas √°guas. Segundo dados da Ag√™ncia Nacional de Energia Elétrica (Aneel), h√° 32 PCHs e 69 CCHs em opera√ß√£o no Estado, que somam 404 Megawatts (MW) de pot√™ncia instalada, 9,47% do total do Pa√≠s.

A Secretaria do Desenvolvimento Sustent√°vel e Turismo trabalha com um horizonte de 1.100 novos empreendimentos de gera√ß√£o de energia no Estado nos próximos anos, incluindo CGHs, PCHs, Usinas Hidrelétricas, Termoelétricas, Usinas Eólicas, Usinas Fotovoltaicas e Microgera√ß√£o.

PRESEN√áAS – Participaram do evento o chefe da Casa Civil, Guto Silva; os secret√°rios Marcel Micheletto (Administra√ß√£o e Previd√™ncia) e Norberto Ortigara (Agricultura e Abastecimento); os deputados estaduais Ademar Traiano (presidente da Assembleia Legislativa) e Coronel Lee; o deputado federal Giacobo; o presidente da C.Vale, Alfredo Lang, diretores da Copel; prefeitos e lideran√ßas regionais; além de produtores e cooperados da C.Vale.

Fonte: AEN - Agência Estadual de Notícias

Banner face

Coment√°rios

banner vidracaria ametista2